Saiba mais sobre a Cinomose



É uma doença que afeta cães filhotes, cães que não tomaram as vacinas necessárias durante a vida ou cães que estão com a imunidade baixa. A cinomose pode atingir vários órgãos, ou seja, é sistêmica, podendo atingir todo o organismo. Por ser causada por um vírus, é uma doença altamente contagiosa. Este vírus consegue sobreviver por muito tempo em ambientes secos e frios e menos de um mês em locais quentes e úmidos. É um vírus muito sensível ao calor, luz solar e desinfetantes comuns. Infelizmente é uma doença que não escolhe sexo, raça e nem a época do ano. É bom ficar atento o tempo todo!


A transmissão da doença se dá através de animais que se contaminam por contato direto com outros animais já infectados ou pelas vias aéreas quando respiram o ar já contaminado. Alguns animais doentes podem não apresentarem sintomas, porém estão disseminando o vírus para outros animais ao seu redor através de secreções oculares, nasais, orais ou pelas fezes, sendo que a principal fonte de transmissão é através de espirros, pois quando o animal espirra, elimina gotículas de água pelo nariz e estas gotículas estão contaminadas com o vírus. Este ato de espirrar pode contaminar cães sadios que estiverem por perto ou até mesmo um humano pode carregar o vírus nas suas roupas ou sapatos, sem se contaminar, indo até um animal sadio, onde será depositado. Portanto, o cão pode se infectar por via respiratória ou digestiva, através de contato direto ou fômites (um humano, por exemplo) e até por água e alimentos que contenham secreções de animais contaminados.


A vacina que previne a Cinomose é a partir da v8 (v10, v11). O cão irá receber a primeira dose com 2 meses de idade, a segunda dose com 3 meses de idade e a terceira dose com 4 meses de idade. Só depois da terceira dose é que ele estará protegido da doença. A taxa de mortalidade da cinomose é de 85%, ou seja, apenas 15% conseguem sobreviver à doença. Sendo assim, não deixe de vacinar seu cachorro!


Fique atento aos sintomas da doença, que podem ser: Tosse; Espirros; Febre; Perda de apetite; Apatia; Vômitos; Diarreia; Secreções nasais; Secreções oculares (conjuntivite); Falta de coordenação motora; Tiques nervosos; Mioclonias (contrações musculares involuntárias); Convulsões; Paralisia.

Esses sintomas variam muito de cão pra cão e a evolução também depende de cada indivíduo. Não temos como prever os sintomas nem a velocidade do avanço da doença. Às vezes um cão que só apresenta os 4 primeiros sintomas já está em um estágio avançado. Isso varia muito. Por isso esteja sempre atento aos menores sinais de mudança de comportamento do seu cão, identifique se notar qualquer problema e leve-o logo ao veterinário.


Para finalizar, é preciso deixar bem claro que a cinomose é um vírus que pode ser letal. A única e melhor prevenção indiscutível da cinomose é através da vacinação. Cabe aos proprietários garantir o direito a saúde de seus animais, colaborando também com a saúde pública de toda uma comunidade.

46 visualizações

Uma produção Nova Ideia